6 METAS DE SEGURANÇA

  • Meta 1 – Identificação correta do paciente: A certificação de que uma pessoa que receba um cuidado seja ela mesma. Simples não? Não, não tão simples assim. Uma pessoa pode se parecer com ao do leito ao lado ter o mesmo nome e às vezes até o sobrenome. O protocolo verificar com o paciente e ou em sua pulseira de identificação os dois identificadores: nome completo e data de nascimento. Repetindo o procedimento a cada nova aplicação de medicamentos, exames entre outros.
  • Meta 2 – Comunicação efetiva: Você já tentou fazer uma brincadeira chamada telefone sem fio? A comunicação dentro de um hospital não pode ser como nesta brincadeira e todas informações devem ser escritas e lidas a cada passagem de plantão ou entre setores.
  • Meta 3 – Melhorar a segurança dos medicamentos de alta vigilância: Você toma algum medicamento? Você vai tomar algum mais durante sua internação? Algum será interrompido? Tipo seu anticoagulante ou seu remédio para pressão?! Pois é! A receita de seus medicamento ,chamada prescrição, durante sua internação é como uma orquestra. A coordenação de todas medicações durante sua internação deve ser realizada pelo seu médico e você deve saber o que recebe. O foco deste protocolo diz respeito a algumas medicações chamadas de alta vigilância, ou seja, medicamentos que se não administrados corretamente pode gerar danos graves.
  • Meta 4- Cirurgia Segura: Quando você voa de avião existe uma checagem de instrumentos e rotas que se não acontecerem o avião não decola. Pois é, com a cirurgia deve ser assim também! Toda cirurgia deve passar um lista de checagem “checklist” que visa identificar o procedimento correto, o paciente certo, se todos equipamentos estão funcionando e que lado deve ser realizado o procedimento (o lado deve ser pintado ainda com o paciente acordado).
  • Meta 5 – Redução do risco de infecção associados aos cuidados de saúde: Quando você vai visitar um recém nascido você faz o que? Higienizar as mãos com álcool, não? Pois é, com uma pessoa em recuperação deve ser igual. Uma das complicações mais comuns em ambiente hospitalar é a infecção. A infecção pode ser a causada pelo próprio cuidado com feridas operatórias, manejo com sondas e drenos entro outros. Uma forma simples de prevenir tais infecção é a higienização das mãos, usualmente, com álcool gel e feita na beira leito.
  • Meta 6 – Prevenção de danos decorrente de quedas: As pessoas durante uma internação estão mais ou menos frágeis. Podem estar tontas, ou seja, em risco de quedas. Ou, ainda, podem estar acamadas com perdas de movimentos. Para melhor cuidado, os pacientes devem ser avaliados e identificados de acordo com seus risco e fornecer orientações e cuidados para prevenção das quedas. No Brasil, o Ministério da Saúde ainda aponta para o cuidado do paciente para que não hajam feridas, ou as chamadas escaras, avaliando a mudança de posição com intervalos regulares, com o apoio da equipe de cuidado.